sexta-feira, 14 de abril de 2017

TERRAS DE MANOEL FRANCO DE OLIVEIRA EM VÁRZEA DE TACIMA/PB -1855

Vez ou outra, no decorrer das pesquisas, nos deparamos com um documento revelador que esclarece muita coisa e acaba por colocar um ponto final em qualquer dúvida.  Hoje, tive o prazer de encontrar um registro importante para o resgate da história da minha família.
Trata-se de um registro de terras feito em 1856, onde os proprietários  declararam que adquiriram as terras na VÁRZEA DA TACIMA de Manoel Franco de Oliveira e sua mulher Ignácia Maria da Conceição, respectivamente pais de JOAQUINA EUSTAQUILINA DE OLIVEIRA e ISABEL FRANCISCA DE LIMA – matriarcas das famílias OLIVEIRA e PINTO de quem descendo (vide postagens no blog).
Cabe ressaltar que, desde 1827  encontrei registros da presença em Araruna de membros da família  que assinavam 'FRANCO DE OLIVEIRA". Todavia, foi com o registro do batizado de Maria, nascida em outubro de 1854, que obtive a prova documental de que MANOEL FRANCO DE OLIVEIRA  e IGNÁCIA MARIA DA CONCEIÇÃO estavam na localidade.
É importante destacar que o casal era membro da família OLIVEIRA LIMA, cujos membros mais notáveis do final do século XVIII foram CUSTÓDIO DE OLIVEIRA LIMA e FRANCISCO DE OLIVEIRA LIMA, proprietários de currais de gado e fazendas na ribeira do Trairi, onde hoje é a cidade de Santa Cruz/RN
Custódio era o pai de LUIZ CUSTÓDIO DE OLIVEIRA LIMA, um dos subscritores do abaixo assinado para a criação da Paróquia de Nossa Senhora das Mercês em Cuité/PB, em 1801, que abrangia todos os paroquianos da fazenda de "caiçara" da ribeira do trairi e "os demais pela ribeira acima de uma e de outra parte do rio Trairi";
Não é certa a data que MANOEL e IGNÁCIA chegaram a Santa Cruz/RN. Mas, pelo registro teriam vendido as terras antes de junho de 1856. 
Considerando a epidemia de cólera que assolou a Paraíba em 1855/1856, acredito que o casal tenha se mudado para o Rio Grande do Norte no final do ano de 1855. 
Eis o registro, que comprova que MANOEL FRANCO DE OLIVEIRA foi um dos primeiros povoadores de Tacima/PB.
   
imagem: arquivo pessoal

129 – Registro de terras de Araruna
nós abaixo assignados declaramos que somos senhores de huma parte de terras na Data do Riaxo Grande ***  no lugar denominado Várzea de Tacima desta Freguezia de Nossa Senhora da Conceição da serra d’araruna, cujas houvemos por compra a MANOEL FRANCO DE OLIVEIRA e sua mulher IGNÁCIA MARIA DA CONCEIÇÃO, como consta dos títulos e deixamos de mencionar seus limites por serem profundos em cumprimento e não estarem divididos. Varzea de Tacima , 26 de junho de 1856. A rogo dos possuidores Antonio Vicente Ferreira e Maria da Conceição Luiz Caetano de Sousa.

OBSERVAÇÃO:
*** Consta que em 1816 Bernadino Gomes Franco, morador em Bananeiras, requeria sesmaria em "terras devolutas em cima da serra da baraúna em lugar chamado Riacho Grande e que contestam com um sítio TACIMA, do padre Davi (1) ( apontamentos para a História territorial da Parahyba de Lyra Tavares). 
Já na plataforma SILB. CCHLA/UFRN temos que os limites da sesmaria eram:  a leste confrontava com o sítio Tacima, do padre Davi Martins Gomes Freire, a oeste com terras devolutas, a norte com a Serra do Pires de Antonio Pita de Castro e ao sul com a serra da Baraúna.  
Assim, vemos que os limites da sesmaria foram bem definidos e,embora diversa a área do atual município, não há qualquer dúvida da origem do povoamento de RIACHÃO, pois foi chamada inicialmente de RIACHO GRANDE.

A título de esclarecimento Bernardino Gomes Franco foi capitão-mor da Villa Nova del rei no Ceará (IPU). Seu pai também se chamava Bernardino Gomes Franco e foi sargento-mor, tenente e juiz ordinário da mesma vila. Mas, Bernardino antes de se mudar para a próspera Bananeiras/PB e requerer a sesmaria foi acusado de mandar assassinar o juiz ordinário da Vila Nova Del Rei. Sofreu um longo processo onde restou absolvido das acusações,
Bernardino era casado  com ANA FELÍCIA DO CARMO, sendo que ambos foram padrinhos de Manoel  em 1813, conforme comprova o registro abaixo:


 Bernardino teve vários filhos entre os quais outro BERNARDINO GOMES FRANCO, que em 1845 aparece neste registro como dono da escrava cujo filho foi batizado.

ou neste outro registro de 1837 

Até recentemente acreditei que MANOEL FRANCO DE OLIVEIRA teria nascido em Santa Cruz/RN (1820/1824). Todavia, minhas recentes pesquisas provaram que nasceu no brejo paraibano. 
Seu pai de igual nome (MANOEL FRANCO de OLIVEIRA) aparece no registro de terras de número 135, também em Várzea de Tacima, como já falecido, e sua viúva era Juliana Maria da Conceição    
Não tenho dúvidas que ele era parente próximo de BERNARDINO GOMES FRANCO, mas até agora não consegui documentos que comprovem qual o grau parentesco.
O fato de MANOEL FRANCO DE OLIVEIRA ter sido proprietário de terras em Tacima e ter residido em Riachão, local onde batizou sua filha Maria em 1855, são provas contundentes que o sobrenome FRANCO não pode ser mera coincidência. 
Se Bernardino Gomes Franco nasceu por volta de 1770 (no Ceará) é bem provável que ele fosse o pai do primeiro MANOEL FRANCO DE OLIVEIRA. Logo, avô do segundo.


(1)Padre Davi era na verdade o Padre DAVI MARTINS GOMES DELGADO FREIRE, morador na Serra de São Bento desde 1805 e primo de Bernardino Gomes Franco, o mesmo que aparece na sesmaria como  proprietário do sítio TACIMA, que deu origem ao município. O verdadeiro fundador de TACIMA/PB, mas essa já é outra história.

2 comentários:

Nunes Cruz disse...

Bom dia Isabel, gostaria de saber onde você localizou esses arquivos, por que pretendo localizar de meus familiares da região de Cacimba de Dentro, família NUNES DA CRUZ e GONÇALVES RAMOS.

isabel pinto disse...

O de terras é direto no livro de registro de terras 1853/1859. Os batismos nos livros paroquiais da época.
Todas as fotografias da postagem foram tiradas por mim.